Tag Archives: johnlennon

World Peace

11 dez

Engraçado… Todo esse clima de aniversário da morte de John Lennon e paz mundial me fez pensar em como a resposta à pergunta final de qualquer concurso de “miss” é sempre igual. O que você deseja? – WORLD PEACE! – elas dizem. Em filmes como “Miss Congeniality” podemos ver que essa resposta é um pré-requisito para ser a campeã do concurso. Quem não inclui isso na sua resposta com certeza pode tirar o “cavalo da chuva” de ser a vencedora do título. Mas engraçado… Porque? Simplesmente porque é a coisa mais importante que uma pessoa pode desejar, é o que o  mundo mais precisa para viver bem…

Anúncios

IMAGINE

10 dez

Aproveitando que nessa semana (dia 08) se completam 30 anos de sua morte, segue a letra e tradução da música “Imagine” de John Lennon. Na minha opnião, essa letra é a poesia mais bonita já escrita até hoje.

Imagine there’s no heaven

It’s easy if you try

No hell below us

Above us only sky

Imagine all the people

Living for today…

*

Imagine there’s no countries

It isn’t hard to do

Nothing to kill or die for

And no religion too

Imagine all the people

Living life in peace…

*

You may say I’m a dreamer

But I’m not the only one

I hope someday you’ll join us

And the world will be as one

*

Imagine no possessions

I wonder if you can

No need for greed or hunger

A brotherhood of man

Imagine all the people

Sharing all the world…

*

You may say I’m a dreamer

But I’m not the only one

I hope someday you’ll join us

And the world will live as one

TRADUÇÃO

*

Imagine que o paraíso não existe

É fácil se você tentar

Nenhum inferno abaixo da terra

Acima de nós somente o céu

Imagine todas as pessoas

Vivendo para o hoje…

*

Imagine não existir países

Não é difícil de fazê-lo…

Nada pelo que matar ou morrer

E nenhuma religião também

Imagine todas as pessoas

Vivendo a vida em paz.

*

Você pode dizer que eu sou um sonhador

Mas eu não sou o único

Espero que um dia você se junte a nós

E o mundo será um só

*

Imagine não existir posses

Me pergunto se você consegue

Sem necessidade de ganância ou fome

Uma irmandade de humanos

Imagine todas as pessoas

Compartilhando todo o mundo

*

Você pode dizer que eu sou um sonhador

Mas eu não sou o unico

Espero que um dia você se junte a nós

E o mundo viverá como um só

RIP John Lennon

8 dez

John Winston Lennon nasceu em 09 de outubro de 1940 na cidade de Liverpool, Inglaterra. Seu pai, Alfred, era marinheiro e ficava pouco em casa e sua mãe, Julia, acabou engravidando de outro homem. John acabou indo morar com sua tia, Mary Smith (Mimi), quem ele sempre considerou sua segunda mãe. Mimi era muito severa e autoritária, mas John, a partir de certa idade, vivia recebendo visitas de sua mãe. Julia adorava música e até ensinou John a tocar banjo. Mimi, percebendo que John tinha gosto pela coisa, o presenteou com o seu primeiro violão, em 1957. Mais para frente ela o presentearia com sua primeira guitarra. Também no ano de 1957, John e seus amigos da escola formaram a banda “The Quarryman”, tocavam skiffle (um som derivado do jazz, famoso em Liverpool na época). No dia 06 de julho de 1967 John conheceu Paul McCartney em uma apresentação da banda. Eles ficaram amigos e Paul, que já era um amante da música, entrou no grupo (por mais que o seu pai achasse que John Lennon fosse sinônimo de encrenca). George Harrison (que era amigo de Paul) entrou como guitarrista, Pete Best assumiu a bateria e Stuart Sutcliffe o baixo quando os colegas de John deixaram o grupo, que pouco depois foi rebatizado de “The Beatles”. A história desse nome é a seguinte: o quarteto adorava Buddy Holly & the Crickets (uma banda que fazia sucesso na época), sendo que a palavra “cricket” em inglês tem duplo sentido, um deles sendo de um inseto, o grilo. Lennon então começou a buscar outros insetos que pudessem ter um duplo sentido, o que acabou resultando em “beetles” (besouros) escrito Beatles para fazer um trocadilho com beat music (beat tendo como significado batida). Assim nasceu The Beatles, no final de 1959.

Em 1962 Stuart Sutcliffe veio a falecer com uma hemorragia cerebral e Pete Best foi retirado da banda por ser considerado muito fraco para a época por George Martin (da Parlophone), que contratou a banda na época. Assim, Richard Starkey (mais conhecido como Ringo Starr), que já era bateirista de outra banda, se juntou ao grupo. Após o primeiro single gravado com essa formação “Love me Do”, os Beatles viraram a melhor banda de rock da época, símbolo da década de 60. E bom, o resto da história todo mundo já sabe! Mesmo assim vou contar um pouquinho, focando em John Lennon, claro…

Lennon e McCartney dividiam o crédito da maioria das composições, mas poucas foram realmente escritas pela dupla. Os dois eram muito diferentes  e essa diferença se complicou após a morte do empresário (Brian Epstein), quando Paul quis ter maior controle sobre a banda. A entrada em cena de Yoko Ono, namorada de John, também foi mal vista pelos outros integrantes da banda. John começou a gravar músicas junto de Yoko e entre 1968 e 1969 lançaram três álbuns e formaram a Plastic Ono Band. Nesse mesmo ano, após a gravação do disco “Abbey Road”, John decidiu sair dos Beatles, mas todos decidiram não publicar essa decisão. Em 1970, Paul informou a imprensa de que estava saindo da banda, ao lançar seu primeiro disco solo. Essa atitude deixou John muito bravo, o que abalou ainda mais a relação dos dois. Era o fim dos Beatles…

John passou a se dedicar mais às causas pacifistas ao lado de Yoko, principalmente pedindo o fim da guerra do Vietnã. Exemplos disso na música “Give Peace a Chance” e no famoso “Bed-In”, quando o casal fez um protesto deitado em uma cama de hotel por uma semana, em plena lua de mel. Morando em NY e participando constantemente de movimentos pelo fim da guerra, John Lennon passou a ser considerado inimigo do estado pelo então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, que tentou deportá-lo do país diversas vezes.

O filho de John e Yoko, Sean Lennon, nasceu em 1975, o que fez com que John se afastasse da música e se dedicasse somente a sua família. Em 1980 ele voltou a gravar, a música “Just Like Starting Over” foi lançada como single posteriormente e ele lançou, desta vez com Yoko Ono, o disco “Double Fantasy” no dia 17 de novembro.

No dia 08 de dezembro de 1980, John saiu para dar uma entrevista a uma rádio e depois foi com Yoko ao estúdio trabalhar na mixagem da música “Walking on Thin Ice”. Ao voltar para casa, Mark David Chapman, um fã (débil mental) havaiano, que havia pedido autógrafo a John na mesma tarde, se aproximou de John e disparou 5 tiros a tira-roupa contra as costas dele. Covarde, a sensação que sinto ao contar essa história é inexplicável, uma revolta gigantesca. Nessa época eu nem era nascida, imagino como os fãs que vivenciaram isso se sentiram. Mas voltando a história, quatro dos cinco tiros atingiram John, um deles perfurou sua aorta, provocando uma hemorragia fatal. Lennon foi levado ao hospital mas chegou sem pulsação e sem respirar, sendo declarado morto as 23:15.

Essa morte prematura e violenta transformou John numa lenda. Assim que a notícia se espalhou, milhares de fãs se reuniram em luto para prestar tributo a ele na frente do seu edifício. O disco “Double Fantasy”, que havia tido uma fria recepção no lançamento, esgotou nas lojas. Homenagens, estátuas e tributos a John Lennon eram feitos ao redor do mundo. No Central Park, uma área ajardinada foi batizada de “Strawberry Fields”, e recebeu uma placa com a inscrição “Imagine”. Esse local é um dos pontos de encontro aonde seus fãs se unem anualmente, na data de seu aniversário e de sua morte, em homenagem ao grande homem que ele foi.

Os discos de Lennon, com ou sem os Beatles, estão entre os mais vendidos de todos os tempos. Seu catálogo é hoje administrado pela viúva, Yoko Ono, que continua o trabalho de ativismo em prol da paz que desenvolveu com o marido. Nesse ano, que marca 70 anos do nascimento e 30 da morte de John, Yoko dirigiu o relançamento, em versões remasterizadas, de todo o catálogo dele, e organizou shows-tributo nos EUA e na Islândia, aonde inaugurou  a “Imagine Peace Tower”, que projeta um raio de luz no céu. Todo ano, o raio de luz acende no dia 09 de outubro e apaga no dia 08 de dezembro.

John Lennon, um dos meus ídolos que, enquanto vivo, nem na barriga da minha mãe eu estava…!

Curiosidades:

John Lennon é universalmente considerado uma das pessoas mais influentes e conhecidas do século 20, tanto pelas sua música, quanto pelo ativismo político e pela paz mundial.

No ano passado, Yoko Ono organizou uma exposição sobre os anos de John Lennon em Nova York, ela mantém ativo o site johnlennon.com.

No fim de novembro, a TV americana exibiu LENNONYC, dirigido por Michael Epstein, que relata a vida nova-iorquina de John. Ele amava morar na Big Apple, se sentia muito mais livre pois em Londres ele era mais assediado. Além disso, os ingleses não respeitavam muito Yoko, um jornal chegou a publicar que Yoko era feia, deixando John possesso. Portanto, John e Yoko eram muito mais felizes em NY.

A primeira biografia filmada sobre a vida de Lennon, “Nowhere Boy” (de Sam Taylor-Wood), estreou em outubro passado nos Estados Unidos, coincidindo com os 70 anos de nascimento do músico. No Brasil acaba de estrear, assisti no sábado passado, amei!!! Para quem é fã e admira John, esse filme é imperdível. Ele relata a vida dele até o começo da era Beatles. Mostra direitinho como tudo aconteceu, como sua infância foi sofrida e como a vida sempre exigiu muito dele emocionalmente.

Nos últimos tempos, vários livros foram lançados abordando sua vida e carreira. Li que um dos mais interessantes e realista é “John Lennon – O Ídolo que Transformou Gerações” (Gary Tillery) e já garanti o meu!! Esta para chegar, depois eu conto se é bom mesmo! O livro é uma interessante análise sobre a filosofia de vida do cantor, compositor e músico britânico. Além de explicar as origens de algumas músicas compostas por John, o livro apresenta as origens do artista, as motivações que o levaram ao meio artístico e também os caminhos que ele buscou para encontrar respostas para as chamadas “grandes questões de vida”: de onde vim, para onde vou e por que estou vivo. Não vejo a hora de ler!!!

Abaixo segue algumas fotos que relatam a vida de John, na fase Beatles, fase Yoko e após sua morte.

Estátua que homenageia John Lennon no famoso "The Cavern Pub" em Liverpool.

Fãs se reunem com cartazes e velas em homenagem ao ídolo John Lennon

Site oficial por Yoko Ono: www.johnlennon.com

John Lennon em 2010

4 dez

No dia 08 desse mês se completarão três décadas do assassinato de John Lennon. Em 9 de outubro deste ano, o mesmo completaria 70 anos, se estivesse vivo. Yoko Ono, que geralmente não tem tempo para nada que não se relacione à memória de John, disse em uma entrevista que “tirou esse ano todo para ele”. No dia do aniversario de John, Yoko, como de costume, acendeu o grande farol da Islândia em homenagem ao seu grande amor. Este ano, em especial, ela fez um convite a todas as pessoas do mundo para acompanharem online esse momento. Como parte das comemorações, Yoko também coordenou o processo de remasterização dos álbuns da fase solo do músico, de John Lennon/Plastic Ono Band (1970) ao póstumo Milk and Honey (1984). Segue abaixo o convite:

 

 

Dear Friends,

This Saturday, October 9th, I will relight IMAGINE PEACE TOWER in Iceland in memory of my late husband John Lennon. Please ask all your friends to join us by tweeting your wishes to IMAGINE PEACE TOWER. You can do this by coming to IMAGINEPEACETOWER.com where you can also watch the lighting live with us at 8pm in Reykjavík = 9pm in UK = 4pm in NY= 1pm in LA = 5am in Japan.

Tell all your friends.
Spread the word!

Let’s Tweet a million wishes for Peace for John’s birthday!

love,
yoko

Aproveitando o post, olha só a resposta que Yoko deu a essa pergunta:
– Olhando para trás, você acha que a percepção do público em relação ao John Lennon mudou? Você acha que no futuro ele pode ser lembrado mais como um ícone e menos como um ser humano?
Não há preocupação quanto a isso. Ele era humano e não escondia esse fato. Está tudo nas músicas dele.

Eu admiro John Lennon não só por tudo o que ele fez à favor da paz e suas letras maravilhosas, suas poesias. Admiro ele porque, apesar de ser um ser humano “elevado”, um gênio, ele jamais se sentiu acima dos outros, não se considerava melhor por sua fama. Ele sempre passou a imagem de que tinha seus defeitos também e que era um ser humano como outro qualquer. Isso é o que mais me intriga, é muito fácil o ser humano com dinheiro e fama “perder o chão” e se tornar arrogante, só se apegar ao material e as coisas insignificantes. (Quanto a isso, acredito que a Yoko foi culpada, tenho a impressão de que ela influenciou muita coisa no dia a dia que ele levava e o que ele passou a ser e crer). Mas o mais importante, mesmo com todos os acontecimentos daquela época, ele continuava acreditando no ser humano. Jamais desistiu da fé. A esperança que John tinha de que esse mundo um dia ia melhorar, se unir um só em paz e amor, jamais morreu. Até hoje estamos nessa luta. E assim como John, não desistiremos nunca.

OBS: Na segunda que vem, dia 06, a partir das 21:30 começa uma programação especial dedicada a John Lennon no canal GNT. Imperdível!!! Maiores informações sobre horários e documentários: http://gnt.globo.com/johnlennon/Noticias/GNT-dedica-programacao-especial-ao-astro-John-Lennon.shtml

%d blogueiros gostam disto: